«que sentir é este sentir dos meus sentidos a sentir?»

«os sentidos são a engenharia da arte e o sentimento o projeto»

quarta-feira, 18 de junho de 2008

SERÁ ESTE SENTIMENTO O MEU MORRER?




























Não sei se estou acordado
ou se durmo por ai em qualquer lado.
Será que o que escrevo é sonho
ou é um estado de vigília assustado?
Tão pouco sei se quero saber tudo isto,
se acordado ou a dormir eu existo!

Não conheço este sentimento,
nunca o vi antes, nem pedi para vir.
Mas já era tarde, quando percebi,
que ele já tinha conquistado a porta
que eu pensei ser inviolável
mas, sem saber, havia por ai outra chave,
tão simplesmente, capaz de a abrir.
E assim entrou em mim, enamorou-se
com uma qualquer lembrança de criança,
ali vive, ali mora e encontrou novo lar.
Canso-me com esta confusão instalada
de sentir cada célula desarrumada.
Sinto-me exausto de tanto limpar
citoplasmas cheios de migalhas de palavras
que não foram ditas por ele ou por mim.
Sem conseguirem sair dai, intoxicam o corpo
e em novelo de fio de veneno prendem a alma.

Como não bastasse, a qualquer hora do dia,
quando não se lava na alegria do tom calado
da água que envolve toda a minha aura,
acomoda-se no agasalho do vulto vermelho
do lençol de sangue das minhas veias
despidas de vida, cálidas de tristeza.

E eu, desposado de todo eterno haurido
não consigo distinguir o sujo do branco.
lanço-me no sonho sem querer acordar.
Será este sentimento o meu morrer?
Se o for, para ele também deve ser.
Pouco importa, nunca o chegarei a saber,
apenas sei que guardo uma lágrima,
escondida em algum lugar em mim,
que nunca irá cair por ele, ou por ti,
porque morrendo eu volto a viver.

Publicado no R.Letras em 19/05/2008
Código de texto: T996443
SERÁ ESTE SENTIMENTO O MEU MORRER?

5 comentários:

Paula disse...

Muito forte o poema!
Palavras que vibram no nosso interior!
Parabéns!

(Já dei por si no Luso-poemas...)

Abraço

VFG disse...

Se este sentimento é o teu morrer
Lança-te no sonho sem despertares
Liberta a lágrima em ti guardada
Pois ela regará o teu renascimento.

Fragmentos de Elliana Alves disse...

Parabéns adorei o blog e adorei o poema,maravilhoso,bjssssss e boa noite!Voltarei.

Sofia disse...

Sem dúvida, um blogue com textos magníficos.

Jorge Oliveira disse...

Obrigado por terem deixado os vossos comentários, fico muito lisonjeado, gostaria de ter tempo para escrever mais um pouco e responder a cada um em particular, mas não consigo... pela falta de tempo… e por me faltarem palavras que possam transmitir o que sinto quando recebo um comentário… mas há uma palavra mágica:
“OBRIGADO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...