«que sentir é este sentir dos meus sentidos a sentir?»

«os sentidos são a engenharia da arte e o sentimento o projeto»

sábado, 5 de janeiro de 2013

após chegada a madrugada


sai comigo pela manhã
quando o dia ainda é pequeno
deixa-me sentir-te amanhecer
ver o despertar do teu cabelo
a cintilar pelo o ar

no teu suave respirar
seguir a brisa das árvores
a desviar a direcção do vento
e acompanhar teus passos

voar com os pássaros
famintos na nova madrugada
experimentar a fome
inconstante dos teus olhos
a colher o meu primeiro sorriso

olhar as flores que se abrem
nos primeiros raios de sol
a fazer sentir o calor a subir
por entre as tuas roupas
que te faz querer ficar nua

ver-te nascer
na tela branca da alvorada
com as tuas cores e cheiros
a ensaiar este cenário matinal
projectado em montes e vales
na refulgente água dos rios

(eu só quero apanhar a saliva
trazido em teus lábios
onde nasceu a luz solar
numa pequena manhã
que clareou as tuas curvas
e a humedeceu a tua pele
do orvalho das flores
ainda com o hálito fresco
e virgem do começo de um dia)

…eu vou esperar por ti deitada
numa improvável tarde amadurecida
após chegada a madrugada

4 comentários:

varenka disse...

Tua poesia com um suave frescor sensual, numa breve sensação amor.Gostei muito, muito....Beijos.

varenka disse...

Uma bela poesia sensual!Que me encantou...Muitos beijos

varenka disse...

Uma bela poesia sensual!!!!Muitos beijos.

Vanda Paz disse...

4520Há madrugadas fantásticas, esta é uma delas.

Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...