«que sentir é este sentir dos meus sentidos a sentir?»

«os sentidos são a engenharia da arte e o sentimento o projeto»

terça-feira, 25 de março de 2008

UM OUTRO CAMINHO




















Num caminho por entre a noite fria,
vi uma árvore carregada de flor,
que tentava crescer na erosão do ar,
mas com peso excessivo, de tantos gomos,
demasiado para os ramos da minha alma.
Um sentimento da fímbria onda branca,
meditando na noite que devora as páginas do mar,
sob o oceano de conchas a formar orquestra
das novas melodias de Chopin (eu as ouvi)…
Gotas borbulhantes bailando na água
que apanhei como bailarinas dançantes,
num ballet fechado em minhas mãos.
Toda a forma real e irreal incontida,
entre águas do céu feitas de vidro
é o mundo que vejo e nunca vi antes.
Um desejo que respiro mas que não escolhi.
Pedi a Isthar para procurar por mim o céu,
que traça as prosas e versos entre um mar de rosas,
que crescem em águas azuis, por entre espinhos.
Definindo e traçando um outro caminho
Até às nuvens que já suspiram a canção de “benvindo”.

© Jorge Oliveira

Publicado no R.Letras em 08/04/2008
Código do texto: T936446

2 comentários:

Anjo* disse...

Texto lindíssimo. Tocou mesmo no coração. Os meus parabéns. Gostei realmente do que li. Sem palavras mesmo.

Jorge Oliveira disse...

Obrigado pelo comentário... estas palavras só me dão mais força para escrever...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...