«que sentir é este sentir dos meus sentidos a sentir?»

«os sentidos são a engenharia da arte e o sentimento o projeto»

terça-feira, 5 de agosto de 2008

QUERIA...






























Queria rasgar a venda dos meus olhos
e abri-los a toda a luz,
para passar incólume os escolhos
que travam os meus passos indecisos…

Queria ver mais o mundo que reluz
para além de mim, em relâmpagos incisos,
de miragem sem imagem e sem cor…

Queria não ser para ver melhor
um mundo transcendente em que toda a gente
sente que há mais vibrações e mais calor;

Um mundo sem um ponto tangencial
impenetrável à sorte universal,
um mundo sem crescente e sem vasante…

Eu queria (pobre de mim…) a angustiante
alucinação vibrante da transcendência.
Em que existir fosse a aparência
de ter os pés firmados na existência
dum solo fugitivo e escaldante…

Eu queria, assim vencido, falar alto,
gritar, sem ser ouvido por ninguém,
vencer esta barreira incerta do além
que me atormenta e morre em sobressalto!

Eu queria a palavra que dissesse
tudo o que sou… e o mundo… e os outros e tudo…
verbo que fez o todo o me fez mudo
que nada sei dizer por muito que escrevesse…

© Jorge Oliveira
Publicado R. Letras em 31/08/2008
Códido de texto: T1106791

2 comentários:

Anónimo disse...

Queria alcançar as estrelas... vestir-me da cor do céu e alcançar a cauda de um cometa... Queria o impossivel porque o possivel já o tenho...
Tentando viajar na tua poesia e deliciando-me com o que leio...Porque só pessoas especiais como tu tem o poder deste sentir! E mais não digo... Jinho

Jorge Oliveira disse...

Obrigado, nem que sejas só tu a admirar a minha poesia... é tudo o que chega para mim...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...